26 de nov de 2010

ONDE ABUNDOU O PECADO, SUPERABUNDOU A GRAÇA...

ONDE ABUNDOU O PECADO, SUPERABUNDOU A GRAÇA...

           A única agência transformadora de vidas hoje, neste mundo secularizado, é (ou deveria ser) a Igreja. Mas, ao que parece esta se institucionalizou. Eu não estou falando da ICAR, IEAD, IBB, IBN, IPB, etc. etc. Isso tudo são siglas denominacionais evangélicas ou não, não passa de siglas.
A institucionalização da igreja petrificou-se no coração dos crentes, e das lideranças, principalmente: estas estão preocupadas em serem bispos, apóstolos, megapastores por aí vai. Que evangelização que nada!!! E antes que alguém me detone por uma frase, para defender quem quer que seja... Não sou contra se eles almejam somente as coisas terrenas, afinal cada um dará conta de si (e no caso da liderança, dará conta das ovelhas – as perdidas e as amontoadas). Se eles esperam Cristo somente nesta vida, azar o deles; não são crianças e sabem muito bem o que estão fazendo - e para o Reino é que não é. 
Neste caso, eu me refiro é que estes que querem ser aclamados como os "monstros sagrados" da Igreja, deveriam investir este poder (poucos o fazem), esta oportunidade que eles estão tendo para realizar algo grande, realmente impactante para resgatar a função da igreja como agência transformadora de vida.  
É preciso retornar aos princípios bíblicos (não é de costumes locais que estou falando!), de um evangelho mais simples. Bom seria se estes “grandes” pudessem equipar os mais humildes, àqueles que não tem muitos recursos (nem que seja com uma funda e cinco pedrinhas).  Será que é pedir de mais? É uma quimera? Não precisa de eventos, supermegaeventos, aonde a maioria do nosso povo simples não vai, e muitos dos que recebem a instrução não saem com a visão de impactar, de transformar, pelo menos é o que se tem observado quanto aos resultados imediatos, de explosão... 
Basta um curso intensivo de evangelização prática, espalhado pelas cidades, como uma rede de discipuladores (neste caso de evangelistas-mestres), equipando o nosso povo a declarar guerra ao pecado, a carne, ao mundanismo e ao diabo.
A verdade é que o nosso povo, hoje, infelizmente tornou-se templocêntrico: o que vier prá mim de bênção, de vitória, eu recebo, não importa de onde, se de Deus ou de curandeiro. É a dura realidade!!  Os evangelismos práticos que eram feitos nas décadas de 70 e 80 até início dos anos 90, caíram em desuso; quando saíam os grupos evangelizando, principalmente no domingo à tarde (por óbvio) entregando folhetos e ganhando vidas para Cristo. Hoje quem ainda faz o sistema de casa em casa são os TJ. Vai chamar um crente para evangelizar domingo à tarde, CANSEIRA MANO!!
Há igrejas em muitos lugares não passam de um “clube social”, onde as pessoas (crentes) se reúnem neste ciclo: cantam, choram, gritam, ouvem a Palavra (quando ouvem e quando tem) e dizem que foi edificante, abraçam-se, beijam-se; e preparam-se para o próximo domingo (À NOITE). Mas... Mudanças mesmos, hum!!! Compromissos com Deus e com o Reino, neca, nenhum, nadica de nada.
–  Que tal uma pizza com refri. – É mesmo... –Chama a galera!!
 Mas vejam só, os evangelistas que temos nas igrejas pentecostais (muitos jovens), se inspiram nos famosos pregadores “evangelistas” em eventos igualmente famosos ( é claro que todos tem o seu valor, não se discute). O jovens evangelistas até os imitam (timbre de voz, impostação, jeito de segurar o microfone, de tirar o paletó, até a rouquidão RSRSRS). Será que alguns destes pregadores famosos podem falar como o APÓSTOLO (em maiúsculo) Paulo: “sede os meus imitadores” (lembra-me as palavras do escritor aos Hebreus – no caso dos pastores – “a fé dos quais imitai”) Mas, podem todos ser imitados na fé evangélica.
Temos como liderança que somos, rever conceitos, buscar e estudar novas estratégias, novas alternativas, aproximar eclesiologias e "botar o bloco na rua" (se é que me entendem!!). Quando sairmos do templo “para batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos”, então a Igreja retomará o seu papel agencial de transformação e libertação, e nesse contexto a GRAÇA VAI SUPERABUNDAR. [...]


3 de nov de 2010

PARABÉNS, CENTENÁRIO DAS ASSEMBLÉIAS DE DEUS NO BRASIL!!

 100 ANOS DE ASSEMBLÉIAS DE DEUS NO BRASIL!!

As eleições 2010, foco de massivos assuntos na blogsfera chegou ao seu patamar final, no último domingo, e as teclas indomáveis dos irmãos blogueiros voltarão suas digitais para novo (não tanto), mas adormecido assunto: o centenário das AD's no Brasil.

E com certeza, as AD’s chegam aos 100 anos com virtudes, muito mais do que defeitos. É só dá uma olhada para a história dessa renomada e distinta denominação.

Como bom assembleiano, de berço, só tenho a agradecer ao Senhor Jesus Cristo, salvador nosso, pela existência de centenária instituição.

Quem é legítimo assembleiano, (sem nenhum bandeirismo) nessa hora de comemorações, é o que deve fazer - AGRADECER: nas igrejas em todo o Brasil, na internet - blogs, sites de relacionamentos, sítios diversos.

As Assembléias de Deus no Brasil, enquanto instituição e membresia, como igreja de Cristo, merecem o devido respeito de seus líderes e membros: do mais novo convertido ao mais idoso servo de Deus; da alta cúpula ao "menor" dos obreiros.

Merecem respeito pelo bom nome, pelos relevantes serviços prestados ao Brasil e ao mundo. Amada por muitos, odiada por alguns.

Trata-se de uma instituição séria, espiritual, evangelística e respeitada por outras denominações, religiões e autoridades em geral. Na verdade, a gente não vê membros de outras denominações criticando duramente às suas denominações. Contudo, alguns se envolvem na “pilha” de informações e notícias irresponsáveis e... Detonam!!
           
Uma denominação que tem fincado marcos e estruturas morais, espirituais, éticas e sociais no decorrer desses 100 abençoados anos, inclusive como verdadeiro celeiro missionário ao mundo.                                           

É verdade, que temos sérios problemas... Mas, quem não os tem.  

Sim, ela merece de nós, assembleianos,a honra devida, o melhor que podemos fazer para que o Evangelho continue triunfando no Brasil e no mundo, através dessa instituição evangélica; e o nome do Senhor Jesus Cristo ser glorificado sempre e sempre.
                                
Ademais, devemos erguer, o mais alto possível, a bandeira do amor e do orgulho (no bom sentido) por pertencer tão denodada e grandiosa denominação evangélica no Brasil e no mundo. Afinal, não é sempre que se comemora 100 anos. 

Lembro-me que FHC, quando presidente da República, em seu discurso no Congresso Mundial das AD's, no Campo de Mártir (SP) disse: _ "A Assembléia de Deus é igual Coca-Cola, tem em todo lugar." _ e terminou com um sonoro "Aleluia".

Como membros dessa altaneira instituição o que queremos é a unidade. Quem me dera vê-la unida em uma só: CGADB, CONAMAD e Belém-PA (atualmente, dissidente).

Alguns acham distante, outros, impossível de acontecer. A meu ver, parece-me não sendo de grande importância para a liderança atual.

Ah, se as AD's no Brasil fossem unidas provocaria um impacto transformador que surtiria efeitos para as novas gerações.

Que Deus em Cristo abençoe e faça prosperar o Evangelho no Brasil. Que estenda as SUAS potentes mãos sobre as AD's no Brasil e sua liderança maior. É a minha singela, porém devotada oração. AMÉM.