24 de mar de 2015

COVARDE!!


Quem é o covarde?
Definição. 
Covarde:  3. Desleal, traiçoeiro. Covardia: 2. Ato desleal que atinge apenas os mais fracos. (FERREIRA, Aurélio B de H. Miniaurélio Século XX1 Escolar. RJ: Nova Fronteira, 2001.).

Para a psicologia, a covardia, em suma, é uma das facetas da falha de comportamento humano: inseguros, medrosos, egocêntricos, etc. 

A Dra. Adriana Nogueira no blog psicologia dialética, ressalta sobre os covardes o seguinte: “cansados e lentos sob o peso de tanto pensar e fantasiar, estes indivíduos têm uma particular atração para criticar quem ousa agir, ora expondo seus raciocínios "lógicos e sensatos", ora semeando dúvidas insidiosas que atacam a auto-estima alheia. [...] Enquanto o covarde tem baixa auto-estima, o corajoso não pensa demasiadamente em si. Ele enxerga além. Se parasse para considerar todos os pequenos interesses de seu próprio ego, o corajoso perderia o impulso do moto progressivo e naufragaria rapidamente.”

Ghandi já dizia: " um covarde é incapaz de demonstrar amor..."

Covarde não é somente uma pessoa, insegura medrosa, que não tem coragem para enfrentar seus medos e fantasmas. Numa análise pessoal de vida, penso que o covarde é um ser amargo, solitário, derrotista, invejoso, dissimulado, fingido, autodestrutivo e traiçoeiro. Às vezes, se mostra como inimigo velado, que não mostra a cara. Para aparecer de bonzinho aos olhos da sociedade ou comunidade em que vive.

Em todos os segmentos da vida, na sociedade, existiram, existem e sempre vão existir os covardes. São como ervas daninhas que crescem e sugam a seiva das plantas viçosas e florescentes, até que elas morrem secas, apodrecidas. O covarde é como a sanguessuga que se nutre das ideias, virtudes ou fracassos de outras pessoas. E, não raramente, se intitulam dono da ideia de outrem.

O covarde, apesar de seu espaço adquirido, não tem convivência segura e duradoura no grupo social. A qualquer hora, ele pode romper os laços que o seguram naquele grupo.

Mas, a pior característica do covarde é sua tendência consciente ou inconsciente para a deslealdade. Os covardes não são de confiança, embora estejam no contexto social em que vive e não podem ser isolados, são sempre policiados. São aqueles que, via de regra, produzem vazamentos de segredos pessoais, industriais, empresariais, etc. Os que atacam a dignidade de uma pessoa, sem se importar com os resultados maléficos que possam produzir. E em alguns casos, conscientemente, agem somente para terem a satisfação de rirem ou tripudiarem sobre a pessoa atingida.

Covarde é aquele que concorda com a maioria e depois, entretanto, fala mal por trás, do projeto alheio. Critica o colega, o líder, o patrão, o chefe, mas sempre que pode dá “tapinhas nas costas”, chama para comer junto, e até quer fazer “selfies” com eles, para postar nas redes sociais. A hipocrisia, o fingimento é sua marca registrada.

Não vou entrar no mérito teológico. Todavia, o que dizer de Judas Iscariotes, que no prato comia com Jesus e o traiu com um beijo. E ainda Absalão que roubava o coração do povo, á revelia do velho rei Davi, seu pai. E Jacó que enganou seu velho pai Isaque, na busca da bênção da primogenitura. E os fariseus e saduceus que, sempre tentavam pegar Jesus em alguma fraqueza. Podemos apontar Diótrefes, que João Apóstolo, em sua 3ª carta, reclamou que ele queria roubar o seu lugar como Primaz da Igreja.

O covarde, se ver alguém começar a crescer, prepara ciladas ferinas contra ele, espalhando boatos caluniosos, sem ter a decência de conferir se o fato é verdadeiro, consumido pela inveja por não ter o talento e a capacidade que o outro tem.

Todavia, os covardes, dificilmente, enganam por muito tempo, logo são descobertos. No entanto, o covarde não tem vida longa, por serem autodestrutivos. Eles acabam por sentir a foice da morte muito cedo. E neste caso, não precisa ser morte física. Falo de suicídio social. Eles se autodestroem com seus artifícios, fantasias e malefícios. Isolam-se, aniquilam-se do grupo social em que vive. Seja no trabalho secular, na comunidade de amigos, ou na igreja. Os covardes pensam que enganam alguém, escondendo-se atrás da cortina de fumaça da hipocrisia. Ledo engano. É por pouco tempo, logo a máscara cai.

Tenho percebido, nesse tempo de parca experiência, que em alguns casos, os covardes são migratórios. Acabam o seu malfadado “serviço” em um lugar ou grupo social, onde deixam o ambiente em que viviam, quase ou todo destruído, e saem para procurar outro ambiente onde possam proliferar as suas nefastas atitudes, fruto de sua falha de comportamento.

Não tenho, com este artigo, o objetivo colocar “carapuça” em quem quer que seja. Contudo, meu desejo é ajudar o ledor a fugir deste comportamento pernicioso e maligno. Seja natural, seja você mesmo. Trabalhe com os seus próprios talentos, dons, capacidades e habilidades e verá que "o vosso trabalho tem uma recompensa".

Uma pergunta: será que tem este tipo de comportamento no segmento cristão ou religioso?

Ah...! Que Deus nos livre da maligna, perniciosa e diabólica covardia!

19 de mar de 2015

Mordomia Cristã


A prestação de contas das coisas espirituais é inexorável e muito pesará na balança divina.
Por Ezequiel da Silva
Postado em: 15 de setembro de 2013


O que temos na vida não é nosso. Os bens materiais que conquistamos, o tempo de vida que vivemos, a família que adquirimos, a formação e a realização profissional que obtivemos. Não são nossos. Somos apenas administradores de tudo isto. Crendo ou não em Deus e que tudo pertence a Ele, haveremos de prestar contas de tudo que administramos aqui no plano terreno, ao Senhor Deus, Criador dos céus e da terra e de tudo que nela contém.

E quando falo de prestação de contas, falo daquilo que é próprio de quem é administrador. É chamada de mordomia cristã (mordomo, vem de administrador; aquele que supervisiona e administra o que é de outra pessoa). Inclusive a vocação espiritual: ministério, dons, talentos e o serviço cristão em todos os seus aspectos. A prestação de contas das coisas espirituais é inexorável e muito pesará na balança divina. Claro, que não pretendo tratar de todo assunto sobre Mordomia que é maravilhoso, como disse é só uma reflexão.

Quantos estão negligenciando ou brincando com a vocação espiritual, nesses dias! Quantas pessoas estão negociando fraudulentamente com as coisas santas (era chamado, no passado, de SIMONIA)! Quantas pessoas se exaltam por aquilo que possuem sejam bens materiais e patrimoniais, formação educacional e realização profissional. E são tão arrogantes que o nariz quase toca as nuvens de tão empinados. Elas não se preocupam que um dia haverão de estar diante do Todo-Poderoso, para devolver a Ele o que foi lhe dado para administrar aqui na terra.

Como estamos administrando as coisas que foram entregues a nós para serem usadas ou realizadas? Aquilo que Deus nos entregou para administrar? Quer seja materialmente quer espiritualmente. Sejam ricos e pobres, leigos ou acadêmicos, sacerdotes ou povo. Em sua 1ª carta apostólica, Pedro exorta a todos os administradores: "[…] se alguém administrar, administre segundo o poder que Deus dá; para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence a glória e poder para todo o sempre. Amém".

Demos glórias, pois, a Cristo por tudo que temos e realizamos, devolvendo-lhe o que lhe é tributado, e ele certamente estará reservando para nós coisas inefáveis, neste tempo e no porvir a vida eterna.


Veja mais: http://searanews.com.br/mordomia-crista/#sthash.6HqmHjzZ.dpuf